Fraudes Bancárias – Como Funcionam

Os hacker não perdoam qualquer erro feito pelo usuário através da internet, principalmente quanto ao uso das redes que permitem acessar a sua conta bancária. Milhares de pessoas já tiveram movimentação em sua conta do banco sem darem permissão para isso. E infelizmente o Brasil é o que mais possui armadilhas para as pessoas e assim os usuários acabam sendo prejudicados. Um dos vírus chama-se cavalo de troia e é um dos mais poderosos e os que atingem a sua conta bancária são chamados de “cavalos de troia bancários”.

O modo como é feito o roubo dos dados no Brasil é bem eficiente e bem personalizada, diferente do que é feito em outros países. Estes países usam o código Zeus, conhecida como maneira genérica, no Brasil, no entanto, são feitos no país mesmo.


Antigamente a maneira mais fácil de ter acesso as informações era capturando por meio de programas como o “Keylogger” o que era digitado no computador. Com ele também era possível ter senhas de redes sociais e senha do cartão de crédito. Após os bancos perceberem que os usuários estavam sofrendo danos com isso foi introduzido que não mais digitassem, mas clicassem nas letras ou números para segurança total. E isso foi atingido em relação as senhas. E mesmo assim os hackers continuaram a sua ação monitorando o que o usuário fez, em volta de qual botões apertou. E então os bancos entraram com a ação de mudar de local os números para que isso não acontecesse mais.

Depois destes tentativas em falhas foi a vez de inserir um navegador falso para os usuários bancários, fazendo com que eles pudessem inserir o navegador assim que o internauta inserisse o endereço. Era possível ver o navegador verdadeiro fechando e o outro abrindo. Isso também foi descoberto e o que usam agora são códigos reais inseridos diferente no navegador verdadeiro, fazendo com que o usuário tome cuidado em dobro sobre o que fazem.


Para a pessoa que precisa utilizar o banco via internet é preciso muito cuidado e que não clique em qualquer coisa que ache interessante, principalmente quando há cartões de créditos vinculado a contas em outros sites. Quem não precisa deste serviço prefira o banco ao invés do eletrônico da internet para que corra menos risco.