Cuide Melhor do seu Dinheiro


Cuidar do dinheiro é importantíssimo, principalmente entre os adolescentes que não dão tanta importância para isso e acabam entrando em divida rapidamente. A educação financeira deveria acontecer desde pequenos, com os pais para que assim pudessem cuidar mais do seu dinheiro. Ele deve ser cuidado para que mais para frente não se perca com facilidade. É difícil encontrar pessoas que saibam exatamente como “tratar” o dinheiro, mas não impossível.

Isso também significa ter uma reserva para os momentos de necessidade que passar. Portanto, tenha uma reserva mensal, o ideal é que guarda 10% do seu salário, pois isso significa que mais para frente quando precisar terá uma reserva disponível e ao mesmo tempo sabe que não está gastando todo o seu dinheiro por mês, o que é ideal.

O planejamento é preciso ser feito em qualquer hipótese. Mas vale ressaltar que o planejamento deve ser feito rapidamente e ao longo dos dias verá o que precisa mais. Assim acontece com o orçamento. Você deve colocar todas as suas despesas fixas no mesmo e conforme for fazendo contas vá colocando no orçamento.

Não gaste em coisas desnecessárias. A partir do momento em que gasta significa que ou está sobrando dinheiro ou então está fazendo contas no cartão de crédito, o que não é indicado em nenhum caso quando se trata de contas desnecessárias.  Quando utiliza o cartão de crédito é o mesmo de não cuidar do seu dinheiro, pois acaba gastando um dinheiro virtual, um dinheiro que não tem.

É sempre importante que falem sobre o dinheiro, pois muitas vezes uma situação que um amigo ou parente comentou é a mesma a que você se enquadra, ou seja, ali pode estar a solução para finalizar o que está passando. Os familiares, principalmente os pais sempre dão dicas de como controlar o seu dinheiro, principalmente quando é um jovem fazendo faculdade em outro lugar que não tem muita noção de como é viver o mês economizando, sem gastar muito.

O plano B sempre deve existir para qualquer meta. Ou seja, tenha em mente outro plano quando o primeiro não dá certo, falando em finanças.