Dicas sobre pagamento da fatura do cartão de crédito



O brasileiro vem adotando como uma prática comum o uso de cartões de crédito, seu uso tem crescido anualmente, tanto no comércio convencional quanto em compras eletrônicas. Apesar da praticidade do “dinheiro de plástico”, o cartão de crédito pode trazer grandes dores de cabeça, pois muitas pessoas não sabem lidar com o acúmulo de parcelas, juros muito altos, utilização do crédito rotativo e pagamento somente do valor mínimo. É muito importante ficar atento quando a forma de pagamento do cartão de crédito, para ficar esperto no quanto somos prejudicados ao pagar somente o valor mínimo.



 Muita gente não sabe o que significa pagar apenas o mínimo e as operadoras não têm a menor intenção de tirar as dúvidas ou mostrar transparentemente como isso funciona, pois elas faturam muito com essa modalidade de cobrança. O mais importante saber sobre essa modalidade de pagamento: você não está pagando absolutamente nada do valor principal, mas apenas os juros. Em outras palavras, se você pagar apenas o mínimo e não gastar nada no mês seguinte, o valor da próxima fatura será igual à fatura anterior ou bem próximo disso. Segue um exemplo, suponha que tenha uma fatura de R$ 550, o pagamento mínimo era R$ 50 e os juros mensais do cartão são 10%. Ao pagar apenas os 50 reais, a fatura ficaria em R$ 500. Mas, incluindo os juros de 10% a.m., a fatura será, no próximo mês, os mesmos R$ 550. Isso se não existir nenhuma outra compra. 


Isso não é notável por muitas pessoas que usam cartões, e para piorar, as operadoras de cartões de crédito ainda incentivam o pagamento do mínimo, pois muitas vezes o valor do pagamento mínimo tem mais destaque no site ou no caixa eletrônico que o próprio valor da fatura, induzindo as pessoas a pagar o valor mínimo. O cartão de crédito é uma ótima alternativa de compra e pagamento no dia-a-dia, pois podemos andar somente com o cartão na carteira e não com dinheiro, e que caso seja perdido o mesmo pode ser bloqueado instantaneamente, inutilizando-o. Mas é sempre bom ficar atento aos juros cobrados pelas operadoras para o prejuízo não ser tão grande.

Veja mais